*Estado de Espírito!*


domingo, abril 11, 2010

Por mais que a vida nos agarre...*


'Mas o Principezinho é também revelador do espaço que os homens dão ao amor; as mulheres estão divididas entre rosas caprichosas e raposas boazinhas, ou seja, as mulheres que os homens amam e as mulheres que amam os homens.
Não há nenhuma mulher que não tenha orgulho na Raposa e que não se identifique com tudo o que ela diz. Ela representa a capacidade de dar e de receber amor, mas também o dom de ensinar o amor através dos seus rituais. E quando o herói parte, deixando a Raposa a chorar, diz-lhe que a culpa é dela porque foi ela que pediu para ser cativada. Mais uma vez a história repete-se; aproximação, entendimento, sedução e abandono. Mas para a Raposa nada foi em vão.
Todos os homens têm dentro de si um Rei, um Vaidoso, um Acendedor de Candeeiros. Todos eles são este pequeno grande herói solitário à procura da verdade, do entendimento das coisas, da justiça, da amizade e do amor. E reconheço que nós, as mulheres, somos todas metade rosas, metade raposas, consoante nos deixamos amar ou nos entregamos ao amor. '
in O Princepezinho

[Tenho que voltar a ler este pequeno grande tesouro]
*Butterfly*

2 borboletas:

Shell disse...

Eu também quero tanto voltar a ler ! Acho que agora vai ser ainda mais bonito :) Excelente escolha ! * beijinho

Artyza disse...

e sem duvida o meu livro favorito leio e releio tantas vezes quantas preciso, e maravilhoso....